WG

abril 7, 2009

Literatura para fundamentar relatório (1)

outubro 3, 2007

literatur.gifComo já disse em aula, o relatório sobre avaliação ou experimentação da WebQuest deverá recorrer a uma literatura mínima e obrigatória. Ou seja, a literatura recomendada deverá inspirar o trabalho de vocês e ser necessariamente citada nos capítulos iniciais(os capítulos de fundamentação). Começo a indicar tal literatura neste post. Leiam e estudem os seguintes materiais:

  1. WebQuest: uma técnica de aprendizagem na rede internet.
  2. Educação na rede – Entrevista de Bernie Dodge no Brasil.
  3. Um jeito novo, simples e moderno de educar.

Todos estes textos podem ser encontrados no site  WebQuest: aprendendo na internet, da Escola do Futuro/USP. Ao entrarem no referido site, vocês deverão:

  • Clicar e “Textos e artigos”, no menu (aquela barrinha azul do lado esquerdo da página de acolhida do site)
  • Clicar, a seguir, em “Em português”.
  • Clicar em cada um dos títulos aqui recomendados.
  • Estudar o material.

Sugiro que vocês copiem os artigos e os imprimam em papel. Com essa providência a leitura e o estudo serão facilitados.

Segue aqui o link para a página da Escola do Futuro:

Prazos para o projeto WebQuest

outubro 3, 2007

Já comuniquei a meus alunos quais são os prazos para término, publicação e produção de relatório sobre WebQuests. Mas não custa nada deixar registradas aqui as datas de compromisso:

  • Conclusão da WebQuest e publicação na internet: até 05/11/2007.
  • Entrega de relatório de experimentação ou de avaliação da WebQuest produzida pelo grupo: até 30/11/2007. 

Publicador de WQ’s em português

setembro 27, 2007

Nas duas últimas semanas andei testando o php WebQuest em sua versão brasileira. Ele está bem estável. Assim, meus alunos da Pedagogia e Licenciatura têm agora mais uma alternativa de gerador de WebQuest. Quem quiser usar o publicador em português pode ir até

http://livre.escolabr.com/ferramentas/wq/index.php

Gerador de rubricas de avaliação

setembro 15, 2007

Para exercitar construção de rubricas avaliativas vocês podem utilizar geradores de rubricas. Um desses geradores, de uso muito fácil, pode ser encontrado em

teachnolology

Indiquem nas células de cor cinza o objetivo, traço ou característica a ser considerado(a). Descrevam nas células azuis os níveis de desempenho esperado, começando pelo nivel mais baixo (1°) e terminando pelo mais alto (4°)..

Bons exercícios!

Dissertação sobre WebQuest

setembro 8, 2007

Quem estuda WebQuest sempre pergunta sobre explicações acdêmicas  a respeito da criação do Professor Bernie Dodge. A resposta costuma ser sempre a mesma: não há ainda um número representativo de estudos sobre a matéria. Mas isso vem mudando no mundo todo. Em muitas universidades as WebQuests estão sendo objeto de estudo em dissertações de mestrado e teses de doutorado. Acompanhei alguns desses estudos no Brasil. Recentemente foram defendidas dissertações de mestrado sobre WebQuest na Universidade Federal de Alagoas, na Universidade Rural de Pernambuco, na Universidade Estadual de Campinas e na Universidade Federal de Santa Maria, RS. Acabo de descobrir mais uma pesquisa na mesma direção. Trata-se da dissertação ” A concepção da pesquisa no cotidiano escolar: possibilidades de utilização da metodologia WebQuest na educação pela pesquisa“, de Luciano Roberto Rocha, defendida este ano na Universidade Federal do Paraná. Para ver uma versão integral da mencionada pesquisa clique aqui.

Planejar a WebQuest

agosto 30, 2007

Você está aprendendo o conceito de WebQuest. Ao mesmo tempo está sendo desafiada(o) a elaborar um trabalho que dê vida a tal metodologia. E provavelmente vai começar pela Tarefa, ciente de que WebQuest é um metodologia ativa na qual a Tarefa desempenha papel de fundamental importância. Tudo bem. Mas vamos devagar com o andor. Para bem planejar uma WebQuest é preciso ter bastante clareza de quais são os conteúdos que os alunos deverão aprofundar e estudar. A importância da Tarefa está em sua qualidade de exigir uso completo e bem fundamentado de certos conteúdos que precisam ser aprendidos.

Para não quebrar a cara na execução da sua WebQuest, convém seguir algum caminho de planejamento. Por isso sugiro que você e seu grupo dêem uma boa olhada em ferramentas de planejamento que podem ser encontradas no site WebQuest da Escola do Futuro/USP. Tais ferramentas são:

  • Como criar uma WebQuest
  • Folha de Planejamento (na seção Recursos)
  • Como selecionar um projeto WebQuest (também na seção Recursos)

Para estudar as citadas ferramentas, dê um pulinho lá em

WebQuest: aprendendo na internet

Ferramentas de Produção

agosto 29, 2007

Produzir coisas para a Internet sempre chega na questão: eu preciso programar ou entender muito de computadores para fazer o que quero? Muitas vezes, a resposta para tal questão é sim. Mas em certas áreas a resposta pode ser não. Por exemplo, se você quiser publicar um blog, conhecimentos de informática e de programação não são uma necessidade. Basta saber um pouco de digitação e  como copiar imagens. Isso é possível graças a publicadores criados para faciliatar a vida de pessoas que não querem aprender a lidar com as entranhas dos computadores.

Como as WebQuests conquistaram um grande espaço nos meios educacionais, muitos serviços e especialistas criaram publicadores para quem queira produzir trabalhos seguindo a metodologia. Assim, se você não quiser ou não puder produzir uma página original na Web para a sua WebQuest, a solução é a de usar um publicador. Há vários deles na praça. Alguns mais complexos, alguns mais simples. Alguns pagos, outros gratuitos. Vou sugerir aqui um deles -mais simples e gratuito: o Instant WebQuest. Para usá-lo é preciso se cadastrar – para isso você deverá clicar em “Login/Register” e preencher o formulário. Uma vez que sua inscrição for aceita, convém explorar o espaço para ver o que já está publicado no Instant WebQuest, incluindo um bom número de trabalhos em português.

Ah! Você ainda não sabe onde está o publicador. Vamos lá. Para conhecer a tal ferramenta, basta clicar aqui.

Daqui para frente, junto com seu grupo, explore o publicador tentando entendê-lo. Mesmo que você não vá usá-lo para publicar o seu trabalho, é bom utilizá-lo como um local para rascunhar a sua WebQuest. Explore e descubra como usar a citada ferramenta.

Que tarefa é esta?

agosto 22, 2007

Você já sabe que o coração de uma WebQuest é a Tarefa, pois esta, além de deixar bem claro qual é o objetivo da aprendizagem pretendida, estabelece a dinâmica que desafiará os alunos a produzirem algo com entusiasmo e dedicação. Você também sabe que boas Tarefas correspondem a missões que na vida em sociedade exigem bom domínio do conteúdo alvo. E que missões são essas? Elas podem ser um parecer de uma junta médica, um programa de rádio, um conto, um parecer técnico sobre um nicho ecológico, um roteiro de vídeo para uma campanha contra o cigarro, um catálogo de exposição de arte etc. O limite para uma boa Tarefa é a imaginação do educador.

amigodaonca.gif

Tarefas são uma forma muito concreta de definir objetivos educacacionais. Uma boa Tarefa é um demonstração de domínio do conteúdo que o professor quer que seus alunos aprendam.

amigodaonca1.gif

Bernie Dodge, o criador da metodologia em estudo, vem realizando um trabalho de classificação de Tarefas a partir de análises de boas WebQuests. O primeiro estudo classificatório de Tarefas é um quadro que você pode estudar no site que organizamos (Jarbas Novelino Barato, Carlos Seabra e equipe) num portal que ainda está no ar lá na Escola do Futuro/USP. Antes de indicar tal local de estudo, apenas uma palavra sobre classificações.

Classificamos coisas para criar conjuntos de elementos parecidos que facilitem nossa vida. Não dá para lidar individualmente com tudo que encontramos pela frente. Com WebQuests não é diferente. Podemos agrupá-las de acordo com os tipos de Tarefas que propõem. Mas a classificação não funciona apenas para a gente colocar as coisas em determinadas gavetas. Ela funciona também como guia para as nossas decisões.

flechao.gif

Pare e pense um pouco. Você classifica tudo que encontra pela frente. Classifica pessoas (chatas, legais, interessantes, estressadas, interresseiras, otimistas, ingênuas, românticas, etc.). Classifica músicas (legais, chatas, excitantes, lentas, românticas, agradáveis, inspiradoras, etc.) E assim por diante. Essa capacidade classificatória é muito utilizada em ciência. Quase sempre ela atende pelo nome técnico de taxonomia. No nosso caso, são muito comuns as taxonomias de objetivos educacionais ou de conhecimentos. A taxonomia de objetivos educacionais mais famosa é a de Benjamin Bloom e nós vamos estudá-la brevemente. Mas é hora de voltar á classificação de Tarefas em WebQuests.

No caso de WebQuest, é bom saber que tipo de Tarefa estamos criando ou que tipo de Tarefa queremos criar. É para estas coisas que serve o estudo de Classificação de Tarefas, a Taskonomia. Vamos pois aos finalmentes. Vamos a uma leitura atenciosa do material sobre Classificação de Tarefas lá em:

http://www.webquest.futuro.usp.br/

Você achou que há coisa demais para estudar? É muito texto? Uma sugestão: comece a trabalhar em equipe. Reúna a sua turma e estude de modo cooperativo a Classificação de Tarefas. Para isso, vai aqui uma sugestão:

  • Cada elemento do grupo pode se encarregar do estudo de três ou quatro categorias de Tarefas. Assim, depois de dividir o material para estudo, a coisa pode seguir o seguinte caminho:
  • Cada membro da equipe deve estudar sua matéria, tentando bem compreendê-la.
  • Cada membro da equipe deve escrever um pequeno resumo explicativo dos tipos de tarefa que foi encarregado de estudar.
  • Estudada e resumida a matéria, o grupo deverá trocar figurinhas de tal maneira que todos os componentes aprendam e ensinem simultaneamente.
  • Para finalizar, o grupo pode escolher um tema, sortear um Tipo de Tarefa. Feita a escolha, a equipe deve escrever um texto que proponha tarefa correspondente ao tipo escolhido. Se houver dúvida quanto a essa missão, consulte seu professor.

betty-boop-maryleen.gif

Nessa altura do campeonato, suponho que você e todos os seus companheiros já estejam bambas em Taxonomia de Tarefas. Para testar suas capacidades, que tal classificar as Tarefas de algumas WebQuests produzidas por professores de duas escolas de São Paulo?

Agora que vocês já dominam bem a Classificação das Tarefas, chegou a hora de uma aplicação. Vou sugerir análise de tarefas em nove WebQuests produzidas por educadores dos colégios Rio Branco e Dante Alighieri. A análise poderá ser feita em equipe, mas no final, cada um de vocês deverá eleger duas WebQuests para estudo final e pessoal. E o que é o estudo final? Uma aplicação da Taskonomia que deverá ser registrada na forma de um comentário aqui na Oficina WebQuest da seguinte forma:

  1. A WebQuest escolhida, com indicação do colégio e do título da WQ.
  2. A classificação da Tarefa nos termos da Taskonomia.
  3. Uma explicação curta [máximo de duas linhas], justificando sua decisão.

Falta dizer onde encontrar as WebQuests para análise. Vamos nessa. Você encontrará os referidos trabalhos em:

Colégio Rio Branco

Onde você e amigos deverão estudar asseguintes WebQuests:

  • O que aconteceu na idade média
  • Antigo Egito
  • Uma viagem às civilizações antigas
  • Movimento e estilos artísticos

Colégio Dante Alighieri

Onde vocês deverão estudar as seguintes WebQuests:

  • Como é viver em São Paulo?
  • O tempo
  • Pescaria
  • Galileo Galilei
  • Doenças Tropicais

Atenção: escolhi como exemplos WebQuests que estão sendo usadas em escolas de prestígio. Isso, porém, não é garantia de qualidade dos trabalhos analisados. WebQuests feitas por educadores das duas instituições podem ter alguma imperfeição ou não se enquadrarem dentro dos melhores padrões da metodologia criada por Bernie Dodge. Por isso, não se acanhe ao analisar os materiais produziodos nos colégios Rio Branco e Dante. Você poderá fazer coisas iguais ou melhores que as lá produzidas. Palavra de professor!

Conversa com o autor

agosto 1, 2007

Para saber o que é WebQuest e ter uma idéia de quem é o criador dessa solução de uso da internet em educação, dê uma olhada na entrevista de Bernie Dodge ao jornal O Estado de São Paulo.